domingo, 28 de março de 2010

APRENDIZAGEM

"Para o estabelecimento da situação de aprendizagem, é necessário que se encontrem situações adequadas internas e externas." (Sara Paín - 1973)


Internas:  condições do próprio corpo, integridade anatomo-funcionais, cognitiva, com a estruturação e organização dos estímulos.

Externas: relacionada com o campo dos estímulos.

Transtornos de aprendizagem:  dificuldades primárias ou específicas - alterações no Sistema Nervoso Central.
Dificuldades de aprendizagem: problemas que alteram o aprender. Os fatores envolvidos nas dificuldades de aprendizagem estão relacionados com escola (condições físicas, pedagógicas, corpo docente), família, crianças (aspectos físicos, psicológicos e neurológicos).

Aprendizagem é um processo que se cumpre no sistema nervoso central, em que se produzem modificações mais ou menos permanentes, que se traduzem por uma  modificação funcional ou conductual, que permite uma melhor adaptação do individuo ao seu meio.
Dito de outra forma:
Quando um estímulo é conhecido do Sistema Nervoso Central, desencadeia uma lembrança, quando um estímulo é novo, desencadeia uma mudança - não espera o período escolar para começar.

sexta-feira, 26 de março de 2010

O QUE O FONOAUDIÓLOGO FAZ NA ESCOLA?


Na escola, o Fonoaudiólogo atua de maneira preventiva por meio de triagens, participação em equipe e de orientação aos professores para que possam detectar possíveis distúrbios da comunicação em sua sala de aula, trabalhando com a família através de orientações de como estimular o desenvolvimento adequado dos pequenos e encaminhamentos a profissionais especializados quando necessário.

quarta-feira, 17 de março de 2010

DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM


Robianca Munaretti
Fonoaudióloga/Psicopedagoga

As dificuldades de aprendizagem são bastante confundidas com desatenção, falta de interesse, preguiça por parte do aluno, muitas vezes sendo taxados de indisciplinados e ineficientes. Porém, devemos ter uma atenção especial quando sinais de desinteresse, desatenção, irresponsabilidade, agressividade, entre outros, aparecem, pois podem ser um alerta de que algo está acontecendo, trazendo sofrimento a criança.
É importante que todos os envolvidos no processo educativo estejam atentos a essas mudanças, observando se são momentâneas ou se persistem por mais tempo. Essas dificuldades podem apresentar causas orgânicas ou até mesmo emocionais e é fundamental que sejam descobertas a fim de auxiliar o desenvolvimento do processo educativo.
Os primeiros ensinantes de um ser humano são os pais, com eles aprendemos as primeiras interações e ao longo do crescimento desenvolvemo-nos, aperfeiçoando-as. Estas relações, já constituídas na criança, ao chegar na escola, influenciarão consideravelmente na produção de conhecimento deste sujeito. Portanto, é preciso uma dinâmica familiar saudável, uma relação positiva de cooperação, alegria e motivação.
Já os educadores são os atores mais importantes no processo de identificação e descoberta de problemas relacionados ao aprender. O papel do professor é observar o aluno e auxiliar o seu processo de aprendizagem, pois é nessa relação que se estabelece entre educador e educando que torna este capaz ou incapaz. Se o professor trata-lo como incapaz, não será bem sucedido , não permitindo assim, sua aprendizagem e por consequência o seu desenvolvimento.
As aulas, por sua vez, devem ser o mais motivadoras, criativas e dinâmicas possível, não tendo espaço ao rótulo dos alunos, mas dando-lhes oportunidades de descobrir suas potencialidades.
Ao serem identificadas tais alterações do escolar, estes devem ser avaliados por profissionais especializados nas áreas da medicina, fonoaudiologia, psicopedagogia e psicologia, pois estes é que irão traçar um plano de trabalho que estimule uma melhoria nesta aprendizagem e em aspectos relacionados.
O importante é que o encaminhamento a estes profissionais seja realizado assim que os sintomas aparecerem, para que a eficácia dos atendimentos aconteça no decorrer do ano letivo. Deixar para procurar ajuda no final do ano, perto das últimas avaliações, pode ser tarde demais para se obter um sucesso do trabalho e evitar sofrimentos ainda maiores por parte do educando.

terça-feira, 16 de março de 2010

ORALIDADE


“Por meio da oralidade, as crianças participam de diferentes situações de interação social e aprendem sobre elas próprias, sobre a natureza e sobre a sociedade. Vivenciando tais situações, as crianças aprendem a falar muito cedo.”

Vamos escutar as crianças!!!


sábado, 13 de março de 2010

QUERO VOLTAR A CONFIAR

Arnaldo Jabor

Fui criado com princípios morais comuns. Quando eu era pequeno, mães, pais, professores, avós, tios, vizinhos eram autoridades dignas de respeito e consideração. Quanto mais próximos ou mais velhos, mais afeto.
Inimaginável responder de forma mal educada aos mais velhos, professores ou autoridades.
Confiávamos nos adultos porque todos eram pais, mães ou familiares das crianças de nossa rua, do bairro ou da cidade. Tínhamos medo apenas do escuro, dos sapos, dos filmes de terror.
Hoje me deu uma tristeza infinita por tudo aquilo que perdemos. Por tudo o que meus netos um dia enfrentarão. Pelo medo no olhar das crianças, dos jovens, dos velhos e dos adultos.
Direitos humanos para criminosos, deveres ilimitados para cidadãos honestos. Não levar vantagem em tudo significa ser idiota. Trabalhador digno e cumpridor dos deveres virou otário. Pagar dívidas em dia é ser tonto. Anistia para corruptos e sonegadores.
O que aconteceu conosco?
Professores maltratados nas salas de aula, comerciantes ameaçados por traficantes, grades em nossas janelas e portas.
Que valores são esses?
Automóveis que valem mais que abraços. Filhas querendo uma cirurgia como presente por passar de ano. Filhos esquecendo o respeito, no trato com os pais e avós. No lugar de senhor, senhora, ficou oi cara, como está coroa. Celulares nas mochilas de crianças.
O que vais querer em troca de um abraço?
A diversão vale mais que um diploma. Uma tela grande vale mais que uma boa conversa. Mais vale uma maquiagem que um sorvete. Mais vale parecer do que ser.
Quando foi que tudo desapareceu ou se tornou ridículo?
Quero arrancar as grades da minha janela pra poder tocar as flores!
Quero me sentar na varanda e dormir com a porta aberta nas noites de verão!
Quero honestidade como motivo de orgulho. Quero a retidão de caráter, a cara limpa e o olhar olho no olho. Quero sair de casa sabendo a hora que estarei de volta, sem medo de assaltos ou balas perdidas. Quero a vergonha na cara e a solidariedade. Onde uma palavra valia mais que qualquer documento assinado. Quero a esperança, a alegria, a confiança de volta!
Quero calar a boca de quem diz: “temos que estar ao nível de...”, ao falar de uma pessoa. Abaixo o “ter”, viva o “ser”. E viva o retorno da verdadeira vida, simples como a chuva, limpa como o céu de primavera, leve como a brisa da manhã! E definitivamente bela, como cada amanhecer.
Quero ter de volta o meu mundo simples e comum. Onde existam amor, solidariedade e fraternidade como bases. Vamos voltar a ser “gente”. A indignação diante da falta de ética, de moral, de respeito... Construir um mundo melhor, mais justo, mais humano, onde as pessoas respeitem as pessoas.
Utopia? Quem sabe? Precisamos tentar.
Teremos de volta a nossa dignidade, nosso respeito, nossos direitos. Nossas vidas. Pense, decida, só depende de você.

terça-feira, 9 de março de 2010

RESPIRAÇÃO BUCAL


Ceres Handel Trojan - Odontopediatra
Robianca Munaretti - Fonoaudióloga/Psicopedagoga

O padrão normal de respiração é o nasal, então o primeiro domingo do mês de junho é o dia de dar uma atenção especial a todos aqueles que realizam uma respiração pela boca, sejam eles crianças ou adultos. A respiração nasal ocorre quando há total desobstrução das vias aéreas superiores, visto que o ar flui livremente e o indivíduo mantém os lábios fechados em um contato suave. Este tipo de respiração possibilita aquecimento, filtragem e umidificação do ar necessário para este passar para as vias respiratórias inferiores, proporcionando maior aerificação pulmonar e conseqüentemente uma ideal oxigenação sangüínea cerebral. Uma vez que a manutenção das vias aéreas é essencial para a vida do indivíduo, problemas respiratórios como os que resultam de alergias, hipertrofias de amígdalas e adenóides e desvios de septo podem ser fatores que causam o desenvolvimento de algumas alterações, entre elas a mordida aberta anterior.
Quando o indivíduo é portador da respiração bucal, todo este processo encontra-se alterado, apresentando constante obstrução das narinas, lábios entreabertos possibilitando a passagem do ar sem filtragem ou aquecimento necessário, conseqüentemente essas pessoas apresentam deficiência na capacidade pulmonar, sendo indivíduos que se cansam facilmente, provocando má oxigenação cerebral impossibilitando a atenção adequada em certas atividades, tais como ler, assistir aulas, televisão ou reuniões. São indivíduos rotulados de preguiçosos ou distraídos. A essas características somam-se as posturais; em geral são pessoas ligeiramente arcadas para frente e com fisionomia “tristonha”, a musculatura facial é hipotônica (flácida), o palato ogival (estreito e profundo) e muitas vezes apresenta fechamento de fossas nasais.
Quando observamos que o indivíduo dorme de boca aberta, ronca, baba, tem pesadelos freqüentes, sono agitado, tem dificuldades de aprendizagem, ou seja, quando suspeitamos que se trata de um respirador bucal, se faz necessário uma avaliação médica (Otorrinolaringologista), lembrando sempre que muitos respiradores orais são alérgicos. Esta avaliação é necessária para verificar se não há nenhum impedimento anatômico para selar os lábios. Avaliações com Fonoaudiólogo e Cirurgião-dentista são também necessárias, pois conforme o caso terá que se recorrer ao tratamento ortopédico/ortodôntico, pois pode haver uma deformação das arcadas dentárias ou desvios de posição dental decorrentes deste distúrbio funcional. As queixas mais comuns dos respiradores bucais, referem-se a falta de ar ou insuficiência respiratória, cansaço rápido nas atividades físicas, dor nas costas ou musculatura do pescoço, diminuição de olfato e/ou paladar, halitose (mau hálito), boca seca, acordar muito durante a noite engasgado, dormir mal, sono durante o dia, olheiras, espirrar saliva ao falar, dificuldade de realizar exercícios físicos como correr, jogar bola.
O diagnóstico precoce é fundamental, pois quanto mais cedo for realizado o tratamento interdisciplinar, maiores as chances de sucesso.

domingo, 7 de março de 2010

MULHERES SÃO MUITAS

Meninas, Mães, Madres, Marquesas e Ministras.
Madalenas ou Marias, ou mesmo Madonnas.
Mulheres são Muitas.
Manhãs e Madrugadas misteriosas.
Mergulham em mares de madrepérolas.
Multiplicam memórias e milhares de momentos.
Místicas, marcam mudanças.
Musicais, suas Mágicas misturam melodias e movimentos.
Ah, mutantes!
Musas que merecem medalhas, merecem milhões,
ou melhor, merecem o mundo!

quinta-feira, 4 de março de 2010

TROCAS DE SONS NA FALA /r/ PELO /l/ - CEBOLINHA



O fonema /r/ do encontro consonantal, é som mais complexo da língua portuguesa, portanto, o último a ser adquirido pelas crianças, por volta de 4 a 5 anos.

Nesta idade a criança já é capaz de pronunciar adequadamente os fonemas de sua língua, a linguagem está completa, devendo apenas ser aprimorada.
A criança fala conforme o seu meio ambiente. Aquela que convive em ambientes onde está mais exposta à fala, terá seu vocabulário mais rico e seu desenvolvimento será mais rápido.
Ocorreu um erro neste gadget