terça-feira, 9 de março de 2010

RESPIRAÇÃO BUCAL


Ceres Handel Trojan - Odontopediatra
Robianca Munaretti - Fonoaudióloga/Psicopedagoga

O padrão normal de respiração é o nasal, então o primeiro domingo do mês de junho é o dia de dar uma atenção especial a todos aqueles que realizam uma respiração pela boca, sejam eles crianças ou adultos. A respiração nasal ocorre quando há total desobstrução das vias aéreas superiores, visto que o ar flui livremente e o indivíduo mantém os lábios fechados em um contato suave. Este tipo de respiração possibilita aquecimento, filtragem e umidificação do ar necessário para este passar para as vias respiratórias inferiores, proporcionando maior aerificação pulmonar e conseqüentemente uma ideal oxigenação sangüínea cerebral. Uma vez que a manutenção das vias aéreas é essencial para a vida do indivíduo, problemas respiratórios como os que resultam de alergias, hipertrofias de amígdalas e adenóides e desvios de septo podem ser fatores que causam o desenvolvimento de algumas alterações, entre elas a mordida aberta anterior.
Quando o indivíduo é portador da respiração bucal, todo este processo encontra-se alterado, apresentando constante obstrução das narinas, lábios entreabertos possibilitando a passagem do ar sem filtragem ou aquecimento necessário, conseqüentemente essas pessoas apresentam deficiência na capacidade pulmonar, sendo indivíduos que se cansam facilmente, provocando má oxigenação cerebral impossibilitando a atenção adequada em certas atividades, tais como ler, assistir aulas, televisão ou reuniões. São indivíduos rotulados de preguiçosos ou distraídos. A essas características somam-se as posturais; em geral são pessoas ligeiramente arcadas para frente e com fisionomia “tristonha”, a musculatura facial é hipotônica (flácida), o palato ogival (estreito e profundo) e muitas vezes apresenta fechamento de fossas nasais.
Quando observamos que o indivíduo dorme de boca aberta, ronca, baba, tem pesadelos freqüentes, sono agitado, tem dificuldades de aprendizagem, ou seja, quando suspeitamos que se trata de um respirador bucal, se faz necessário uma avaliação médica (Otorrinolaringologista), lembrando sempre que muitos respiradores orais são alérgicos. Esta avaliação é necessária para verificar se não há nenhum impedimento anatômico para selar os lábios. Avaliações com Fonoaudiólogo e Cirurgião-dentista são também necessárias, pois conforme o caso terá que se recorrer ao tratamento ortopédico/ortodôntico, pois pode haver uma deformação das arcadas dentárias ou desvios de posição dental decorrentes deste distúrbio funcional. As queixas mais comuns dos respiradores bucais, referem-se a falta de ar ou insuficiência respiratória, cansaço rápido nas atividades físicas, dor nas costas ou musculatura do pescoço, diminuição de olfato e/ou paladar, halitose (mau hálito), boca seca, acordar muito durante a noite engasgado, dormir mal, sono durante o dia, olheiras, espirrar saliva ao falar, dificuldade de realizar exercícios físicos como correr, jogar bola.
O diagnóstico precoce é fundamental, pois quanto mais cedo for realizado o tratamento interdisciplinar, maiores as chances de sucesso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget